Nenhuma foto neste projeto!
Projetos Finalizados

Identificando as principais ameaças para a conservação do cachorro-vinagre

Coordenador do projeto:

Ronaldo Gonçalves Morato

 

Equipe executora:

Rodrigo Silva Pinto Jorge - contenção dos animais e diagnóstico de exposição a patógenos

Edson Souza Lima – monitoramento e capturas

Maria Luisa da Silva Pinto Jorge – armadilhamento fotográfico

Descrição do Projeto

Trata-se de um estudo de campo sistemático sobre uma das espécies de canídeos neotropicais menos conhecidas atualmente, o cachorro-vinagre, Speothos venaticus (IUCN 1990) em uma região onde as taxas de remoção de vegetação nativa foram as maiores do Brasil nos últimos 10 anos, o estado do Mato Grosso. Este financiamento permitirá a continuação de um projeto que se iniciou neste ano e já resultou na captura de um grupo de 10 indivíduos (2 adultos, 3 adultos jovens e 5 juvenis). O estudo apresenta abordagem diversificada para que possamos identificar as principais ameaças à conservação do cachorro-vinagre. O grupo recentemente capturado está e continuará sendo intensamente monitorado para que possamos obter informações inéditas sobre área de vida, uso de hábitat, padrão de atividade, dieta, reprodução, dispersão de filhotes e exposição a patógenos. Realizaremos ainda esforços para a captura de novos grupos, através de informações de avistamentos por fazendeiros da região, além do treinamento de cães farejadores para a localização de tocas ativas. Indivíduos adultos capturados serão aparelhados com colares GPS e/ou VHF para posterior monitoramento. Armadilhas fotográficas serão utilizadas para estimar densidade e tamanho populacional de cachorros-vinagre na região, assim como de suas presas e potenciais competidores. O material biológico será utilizado para avaliar a exposição dos animais a patógenos. Os resultados fornecerão informações essenciais e inéditas sobre as necessidades ecológicas e o estado sanitário dos cachorros-vinagres e serão utilizados tanto na elaboração de um plano de manejo para a conservação da espécie no Brasil, como também para a identificação de áreas prioritárias para conservação no estado do Mato Grosso. A área de estudo proposta (município de Nova Xavantina, MT, e municípios vizinhos) apresenta uma mescla de áreas naturais preservadas e outras modificadas por intervenção humana, o que propicia investigação de efeitos antrópicos sobre sua ecologia e estado sanitário.

Objetivos Gerais:
Nosso objetivo principal é dar continuidade ao único estudo ecológico de monitoramento por rádio-telemetria que tem sido conduzido com o cachorro-vinagre (Speothos venaticus), uma das espécies menos conhecidas de carnívoro neotropical. Além disso, pretendemos expandir nosso estudo para determinar os impactos das ações antrópicas sobre as populações de cachorro-vinagre, tanto no âmbito ecológico (abundância de presas, dispersão e colonização de novas áreas, e impacto da caça) como no âmbito sanitário (exposição a patógenos através do contato com carnívoros domésticos). Finalmente, esperamos que nossos resultados possam subsidiar um plano de manejo efetivo para a espécie na região de Nova Xavantina assim como no restante do Estado do Mato Grosso.
 
Objetivos específicos:
- Captura de novos grupos de cahorros-vinagres.
- Determinação da área de vida dos cachorros-vinagres na região.
- Mapeamento em larga escala da presença e preferências de habitat pelos cachorros-vinagre na região;
- Estimativa de densidade, razão sexual, composição e tamanho das matilhas;
- Determinação refinada dos padrões de deslocamento espacial, padrões de dispersão, preferência de habitat e padrões de atividade;
- Determinação de taxas de natalidade e de mortalidade das populações de cachorro-vinagre e das principais causas de mortalidade nos animais;
- Estimativa de abundância de presas;
- Diagnóstico e mapeamento da exposição a agentes patogênicos (vírus da cinomose; parvovírus; vírus da raiva; Leishmania spp.) nos cachorros-vinagre;
- Correlação espacial entre os dados ecológicos e sanitários (ocupação do espaço, padrões de dispersão, colonização de novas áreas, causas de mortalidade, abundância de presas e presença de doenças), a presença e quantidade de vegetação nativa, assim como a proximidade de habitações humanas.

< voltar

Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966