• Pró-Carnívoros
  • Pró-Carnívoros
  • Pró-Carnívoros
  • Pró-Carnívoros
  • Pró-Carnívoros
  • Pró-Carnívoros
Projetos Finalizados

Projeto Lobos da Canastra

Equipe executora:

Equipe do projeto Instituição

Eduardo Eizirik -  Pontífícia Universidade Católica/RS e Instituto Pró-Carnívoros
Fabiana Lopes Rocha  - Fundação Oswaldo Cruz
Flávio H. G. Rodrigues - Universidade Federal de Minas Gerais e
Instituto Pró-carnívoros
Jean Pierre Santos  - Instituto Pró-carnívoros
Marcelo Ximenes A. Bizerril  - Universidade de Brasília
Nucharin Songsassen  - Smithsonian Institute
Ricardo Corassa Arrais  - Instituto Pró-carnívoros
Rogério Cunha de Paula  - CENAP/ICMBio e Instituto Pró-carnívoros
Ronaldo Gonçalves Morato  - CENAP/ICMBio e Instituto Pró-carnívoros

Descrição do Projeto

O projeto Lobos da Canastra (“Biologia comportamental e conservação do lobo-guará Chrysocyon brachyurus no Cerrado do estado de Minas Gerais”) foi iniciado em janeiro de 2004, envolvendo 10 instituições lideradas pelo Instituto para Conservação dos Carnívoros Neotropicais (Pró-Carnívoros) e Centro Nacional de Predadores (CENAP-ICMBio). Inicialmente as pesquisas envolveram a espécie lobo-guará como modelo para promover a conservação da biodiversidade regional. Porém, o programa se expandiu de forma a tratar outras questões ambientais, relacionadas à sociedade e avaliando as relações dos produtores rurais com o meio ambiente. Um diferencial do projeto, desde o início, é a interdisciplinaridade, abrangendo temas diversos, porém relacionados, como comportamento, ecologia, saúde, genética e reprodução e educação.


Com relação ao comportamento e ecologia, por exemplo, foram obtidos dados de tamanho e sobreposição da área de vida e relação com o parentesco dos indivíduos, relação da disponibilidade alimentar com padrão de movimentação e dieta entre outros. O projeto já capturou na região 49 indivíduos em 283 eventos de captura, e obteve amostras de outros seis. Quarenta e dois animais foram equipados com radiotransmissores, quatro deles com transmissores GPS.


Outra meta é mitigação das potenciais causas de enfermidades para lobos-guarás. Para tanto, na primeira etapa do projeto (2004-2007) foi realizada uma avaliação do status hematológico e bioquímico dos lobos-guarás para comparar a condição de saúde dos lobos em diferentes graus de pressão antrópica, e também um perfil sorológico para uma variedade de parasitos nas populações de cães domésticos e lobos-guarás para determinar se os cães domésticos serviriam como potencial reservatório de parasitos para lobos-guarás e se os lobos haviam sido expostos a estes parasitos. Nestes levantamentos, foi encontrada alta prevalência de alguns destes parasitos em ambas as populações e que alguns indicativos de saúde são significativamente comprometidos em lobos que vivem sobre maior pressão antrópica.


O projeto também monitora aspectos reprodutivos e do nível de estresse dos lobos tanto na área do parque como no seu entorno. Foram realizadas as primeiras coletas de amostras de sêmen de lobos-guarás em vida livre. Entre 2004 e 2007, foram verificadas cinco gestações de fêmeas monitoradas que deram cria a filhotes saudáveis. As amostras de sangue coletadas, analisadas pela concentração de corticóides, sugerem que os níveis de estresse podem ser maiores em áreas de fazenda quando comparadas ao interior do parque e suas imediações.


O enfoque comunitário foi ganhando espaço no projeto no decorrer dos últimos dois anos a partir do diagnóstico feito sobre a comunidade do entorno do Parque Nacional da Serra da Canastra e das relações entre a comunidade e esta unidade de conservação. Uma importante ação de mobilização da população foi a elaboração de um livro sobre a região que versa sobre temas ambientais, culturais e econômicos, tendo como autores trinta representantes da comunidade local, como professores, proprietários rurais, profissionais ligados ao turismo e outros. O “Cine Lobo” é outra ação já iniciada, e consiste de um cinema itinerante que percorre escolas, centros comunitários e propriedades rurais exibindo filmes e vídeos educativos, incluindo produções específicas sobre a realidade local, com destaque para a valorização dos aspectos da cultura e natureza local. Já foram realizadas mais de 20 sessões do Cine Lobo atendendo a mais de 2000 moradores da Canastra.


A troca entre o projeto e a comunidade é constante e também é expressa nos contatos dos pesquisadores com os fazendeiros durante os trabalhos de campo (capturas e localizações via rádio-telemetria dos lobos), durante os programas de vacinação de cães (atividade que atingiu 500 cães nas fazendas do entorno do parque, durante três anos), e em entrevistas que visavam conhecer em profundidade a natureza das relações entre os fazendeiros e os predadores naturais de suas criações domésticas, como é o caso do lobo-guará.

Ao todo o projeto já produziu duas publicações em revistas científicas (outras 11 estão em preparação), duas monografias de graduação e seis dissertações de mestrado, além de dois livros, cinco vídeos e duas cartilhas com enfoque na interação com as pessoas da região.

Em 2009, em reunião periódica do grupo de pesquisadores do projeto, decidimos oficializar ao grupo de pesquisa junto ao Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq, visto que, de fato, já atuávamos verdadeiramente como um grupo de pesquisa desde 2004. Assim, foi formado o grupo de pesquisa “Conservação da biodiversidade em mosaico de propriedades rurais e áreas naturais”.

< voltar

Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966