O Instituto para a Conservação dos Carnívoros Neotropicais – Pró-Carnívoros é uma associação civil, de direito privado, não governamental e sem fins lucrativos. Foi fundada no Brasil em 1996, está sediada em Atibaia - SP e tem projetos a campo em diversos pontos do país.

[+] Saiba mais

promoções ecologicamente
Notícias
30/11/10

Mamíferos não crescem há milhões de anos



O tamanho dos mamíferos terrestres "explodiu" depois da extinção dos dinossauros, 65 milhões de anos atrás. Mas, depois de chegar ao auge do tamanho após 25 milhões de anos, o tamanho se estabilizou em todos os continentes desde então.

A conclusão é de uma pesquisa feita por uma equipe internacional, que analisou fósseis de todo o planeta em busca dos maiores espécimes de cada espécie.

"Os grandes dinossauros eram animais ectotérmicos, ou seja, eles não regulam sua temperatura corporal interna. Os mamíferos são endotérmicos e regulam a temperatura corporal. Isso consome cerca de 90% da energia que os mamíferos ingerem", disse à Folha a líder do estudo, Felisa Smith, da Universidade do Novo México em Albuquerque, nos EUA.

"Assim, com o mesmo recurso de alimentos, répteis e dinossauros podem ficar dez vezes maiores", diz.

"Nosso estudo sugere que as limitações de energia tiveram um papel na evolução dos mamíferos, o que também pode ter sido o caso de dinossauros. Os maiores dinos herbívoros eram cerca de dez vezes maiores que os maiores mamíferos."

"Durante os primeiros 140 milhões de anos de sua história evolutiva, os mamíferos eram pequenos e ocupavam uma faixa bastante estreita de tamanhos de corpo", escreveram os autores no estudo publicado na revista americana "Science".

Os mamíferos variavam em tamanho de três gramas --algo do tamanho de um filhote de camundongo-- até 10 kg ou 15 kg, o peso de um cachorro de tamanho médio.

O tamanho realmente "explodiu": o recorde foi de 17 toneladas para grandes herbívoros como o Indricotherium transouralicum e as espécies de Deinotherium na Eurásia e África.

O aumento ocorreu porque os mamíferos passaram a adotar os estilos de vida que eram dos dinossauros.

Reunir todas as informações sobre todas espécies de mamíferos, vivos ou extintos, tomou dois anos de pesquisa da equipe. Os fatores que, segundo o grupo, mais influenciam o tamanho dos animais são a disponibilidade de terra e a temperatura.

Quanto maior a área, maiores são as populações, e o risco de extinção dos maiores animais é menor; já a temperatura afeta o modo como os mamíferos dissipam calor do corpo. Quanto mais frio o clima, maior o animal tende a ficar, pois mamíferos grandes conservam o calor de modo mais eficiente.


Autor:RICARDO BONALUME NETO -

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/836529-mamiferos-nao-crescem-ha-milhoes-de-anos.shtml

< voltar
Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966