Nenhuma foto deste animal!
promoções ecologicamente
Animais

 

Zorrilho (Conepatus chinga)

  • Nome comum em Inglês: Molina’s Hog-nosed skunk  
    Nome científico: Conepatus chinga
    Nome/s comum em Português: Zorrilho

    Informações gerais (valores médios com mínima e máxima em parênteses)


    Comprimento do corpo (cm): (33-50)a  Cauda (cm):  (17-32) a 
    Dieta: Onívora
    Peso (kg): (1.4-3.4) a Altura (cm):  Área de vida (km2): 2 b
    Número de filhotes:  Gestação (dias):  Longevidade (anos): 
    Estrutura social: Solitários a
    Padrão de atividade: Noturno a
    a (Emmons & Feer 1997); b (Donadio et al. 2001)

    Descrição Física
    Pequenos carnívoros, com uma coloração distinta: pêlo preto ou marrom-escuro e duas listras brancas que vão da cabeça até a cauda por cima do dorso.

    Ecologia e Habitat
    Uma espécie pouco estudada, C. chinga ocorre no sul do Brasil (estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, e São Paulo - Cáceres 2004; Emmons & Helgen 2008; Gianuca 1997; Michalski et al. 2007; Lyra-Jorge et al. 2008) e habitam principalmente vegetações mais abertas, como campos, cerrado e caatinga, evitando florestas densas. Sua característica mais conhecida é a capacidade de atingir seus inimigos com um jato de fluido de odor fétido a distâncias consideráveis. São principalmente noturnos e durante o dia se abrigam em tocas escavadas por tatus ou por eles mesmos.
    São onívoros, alimentando-se principalmente de insetos, pequenos vertebrados e frutos (Donadio et al. 2004; Travaini et al. 1998).

    Ameaças e Conservação
    São classificados pela IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) como “pouco preocupantes” devido à sua tolerância a distúrbios humanos, mas foram muito caçados por suas peles e seus habitats foram severamente degradados (Emmons & Helgen 2008).

    Links Online
    IUCN redlist (http://www.iucnredlist.org) apresenta uma síntese dos conhecimentos atuais sobre a distribuição e estado de conservação

    Referências
    Cáceres, N. C. (2004). Occurrence of Conepatus chinga (Molina) (Mammalia, Carnivora, Mustelidae) and other terrestrial mammals in the Serra do Mar, Paraná, Brazil. Revista Brasileira de Zoologia, 21, 577–579.

    Donadio, E., Di Martino, S., Aubone, M., & Novaro, A. J. (2001). Activity patterns, home-range, and habitat selection of the common hog-nosed skunk, Conepatus chinga (Mammmalia, Mustelidae), in northwestern Patagonia. Mammalia, 65, 49-53.

    Donadio, E., Di Martino, S., Aubone, M., & Novaro, A. J. (2004). Feeding ecology of the Andean hog-nosed skunk (Conepatus chinga) in areas under different land use in north-western Patagonia. Journal of Arid Environments, 56, 709-718.

    Emmons, L. H., & Feer, F. (1997). Neotropical rainforest mammals: a field guide. Chicago: University of Chicago Press.

    Emmons, L., & Helgen, K. (2008). Conepatus chinga. In: IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.2. <www.iucnredlist.org>, , Downloaded on 05 July 2010.

    Gianuca, N. (1997). A fauna das dunas costeiras do Rio Grande do Sul. Oecologia Brasiliensis, 3, .

    Lyra-Jorge, M. C., Ciocheti, G., & Pivello, V. R. (2008). Carnivore mammals in a fragmented landscape in northeast of São Paulo State, Brazil. Biodiversity and Conservation, 17, 1573-1580.

    Michalski, F., Crawshaw, P. G., de Oliveira, T. G., & Fabian, M. E. (2007). Efficiency of box-traps and leg-hold traps with several bait types for capturing small carnivores (Mammalia) in a disturbed area of Southeastern Brazil. Revista De Biologia Tropical, 55, 315-320.

    Travaini, A., Delibes, M., & Ceballos, O. (1998). Summer foods of the Andean hog-nosed skunk (Conepatus chinga) in Patagonia. Journal of Zoology, 246, 457-460.

< voltar
Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966