promoções ecologicamente
Animais

 

Furão (Galictis vittata)

  • Furão (Galictis vittata)

    Nome comum em Inglês: Greater Grison  
    Nome científico: Galictis vittata
    Nome/s comum em Português: Furão

    Informações gerais (valores médios com mínima e máxima em parênteses)


    Comprimento do corpo (cm): 68(45-76)a,b  Cauda (cm):  16(13-20) a,b 
    Dieta: Carnívora
    Peso (kg): 2.3(1.5-4) a, b Altura (cm):  Área de vida (km2): 4c
    Número de filhotes: (1-4) b Gestação (dias): 39 b Longevidade (anos): 
    Estrutura social: Solitários ou grupos familiares b
    Padrão de atividade: Crepuscular e noturno b

    a (Emmons & Feer 1997), b (Yensen & Tarifa 2003), c (Sunquist et al. 1989)

    Descrição Física
    A pelagem é bastante característica, com a face, região da garganta e os membros negros e o dorso acinzentado. O limite entre as duas colorações é delineado por uma faixa branca que se extende da cabeça até a lateral do pescoço. Têm o corpo bastante alongado com pernas curtas. São animais extremamente ágeis e rápidos, com grande capacidade para escalar e nadar (Yensen & Tarifa 2003).

    Ecologia e Habitat
    A distribuição geográfica das duas espécies desse gênero ainda é confusa. G. vittata ocorre principalmente na região norte do Brasil, não estando determinado ainda seu limite ao sul. G. vittata habita florestas e áreas abertas, incluindo habitats secundários, vivem em troncos de árvores, rochas ou em tocas que cavam (Sunquist et al. 1989; Yensen e Tarifa, 2003). Eles são ativos tanto de dia quanto a noite e são vistos frequentemente em pares ou em pequenos grupos (provavelmente familiares), que se comunicam através de vocalizações (Yensen e Tarifa, 2003). Sua dieta inclui pequenos mamíferos, aves e seus ovos, répteis, anfíbios, insetos e frutos (Emmons & Feer 1997; Yensen e Tarifa, 2003).

    Ameaças e Conservação
    Classificados como "pouco preocupante" pela IUCN, devido à sua ampla distribuição, e parecem resistentes aos impactos da fragmentação florestal (Michalski & Peres 2005). Entretanto, poucos estudos reportam densidades populacionais e são raros em toda a sua distribuição.

    Links Online
    IUCN redlist (http://www.iucnredlist.org) apresenta uma síntese dos conhecimentos atuais sobre a distribuição e estado de conservação.

    Referências
    Emmons, L. H., & Feer, F. (1997). Neotropical rainforest mammals: a field guide. Chicago: University of Chicago Press.

    Michalski, F., & Peres, C. A. (2005). Anthropogenic determinants of primate and carnivore local extinctions in a fragmented forest landscape of southern Amazonia. Biological Conservation, 124, 383-396.

    Sunquist, M. E., Sunquist, F., & Daneke, D. E. (1989). Ecological separation in a Venezuelan llanos carnivore community. In K. H. Redford & J. F. Eisenberg (Eds.), Advances in Neotropical mammalogy (pp. 197–232). Gainesville, Florida: Sandhill Crane Press.

    Yensen, E., & Tarifa, T. (2003). Galictis vittata. Mammalian Species, 727, 1-8.

     

     

     

     

     

     

< voltar
Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966