promoções ecologicamente
Animais

 

Raposinha-do-campo (Lycalopex vetulus)

  • Nome comum em Inglês: Hoary fox 
    Nome científico: Lycalopex vetulus
    Nome/s comum em Português: Raposinha-do-campo

    Informações gerais (valores médios com mínima e máxima em parênteses)


    Comprimento do corpo (cm):
     58 (49-72)a Cauda (cm):  31 (25-38)a 
    Dieta: Onívora a,b
    Peso (kg): 3.4 (2.5-4)a Altura (cm): 35 (32-37) b 
    Área de vida (km2): (3.8-4.6)a,b
    Número de filhotes: (4-5) a Gestação (dias): 67 a Longevidade (anos): 
    Estrutura social: Solitários ou casais durante a reprodução
    Padrão de atividade: Noturno

    a (Dalponte & Courtenay 2004), b (Courtenay et al. 2006)

    Descrição Física
    A pelagem é curta com coloração cinza claro nas porções dorsais e cinza-amarelado nas porções ventrais, entretanto a coloração varia ao longo de sua distribuição. As orelhas e patas são levemente avermelhadas. A cauda possui pêlos longos. É similar em aparência ao cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), que ocorre nas mesmas áreas.

    Ecologia e Habitat
    Essa espécie é encontrada apenas no Brasil, e ocorre na região do platô do Brasil central, ocupando áreas de campo aberto de cerrado e apresentando padrão de atividade predominantemente noturno (Dalponte 2009).
    A dieta inclui principalmente insetos (cupins, formigas e besouros rola-bosta), e também pode incluir pequenos roedores, aves e frutos (Courtenay et al. 2006; Dalponte 1997; Ferreira-Silva & Lima 2006). Durante as épocas de maior disponibilidade de alimento (e.g. enxame de cupins) eles podem ser vistos em grupos de  3-5 indivíduos. Os filhotes nascem em tocas abandonadas de tatús ou em vegetação densa.

    Ameaças e Conservação
    Não existem dados disponíveis sobre as densidades ou abundâncias das populações atuais. Pensamentos iniciais sugeriam que a sua dieta flexível e tolerância a plantações e agricultura poderiam significar que a perda de habitat não seria uma ameaça a esta espécie. Entretanto os impactos da expansão urbana e doenças transmitidas por animais doméstico permanecem desconhecidos.

    Links Online
    IUCN Canid Specialist Group - http://www.canids.org
    Canid News – http://www.canids.org/canidnews/index.htm

    Referências
    Courtenay, O., Macdonald, D. W., Gillingham, S., Almeida, G., & Dias, R. (2006). First observations on South Americas largely insectivorous canid: the hoary fox (Pseudaloplex vetulus). Journal of Zoology, 268, 45-54.

    Dalponte, J. C. (1997). Diet of the hoary fox, Lycalopex vetulus, in Mato Grosso, central Brazil. Mammalia, 61, 537–546.

    Dalponte, J. C. (2009). Lycalopex vetulus (Carnivora: Canidae). Mammalian Species, 847, 1-7.

    Dalponte, J. C., & Courtenay, O. (2004). Hoary fox Pseudalopex vetulus (Lund, 1842). In C. Sillero-Zubiri, M. Hoffmann & D. W. Macdonald (Eds.), Canids: Foxes, Wolves, Jackals and Dogs. Status Survey and Conservation Action Plan (pp. 72-76). Gland / Cambrigde: IUCN.

    Ferreira-Silva, E., & Lima, E. D. (2006). Termite predation by the hoary fox, Pseudalopex vetulus (Lund) (Carnivora, Canidae), in a pasture in Mato Grosso, Central Brazil. Mammalia, 70, 255-260.

< voltar
Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966