promoções ecologicamente
Animais

 

Gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus)

  • Gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus)

    Nome comum em Inglês: Oncilla  
    Nome científico: Leopardus tigrinus
    Nome/s comum em Português: Gato-do-mato-pequeno, Gato-do-mato-maracajá-í, Pintadinho, Gato-macambira

    Informações gerais (valores médios com mínima e máxima em parênteses)


    Comprimento do corpo (cm): (45-64)a Cauda (cm):  (25-33) a 
    Dieta: Carnívora
    Peso (kg): 2.4 (1.5-3) a,b Altura (cm):  Área de vida (km2): (1-25) b
    Número de filhotes: 1 (1-4)c Gestação (dias): (75-78) 
    Longevidade (anos): 11
    Estrutura social: Solitários
    Padrão de atividade: Noturno e diurno/crepuscular

     a (Emmons & Feer 1997); b (de Oliveira & Cassaro 2005); c (de Oliveira et al. 2010)

    Descrição Física
    É o segundo menor gato silvestre da América do Sul, com tamanho semelhante ao de um gato doméstico. A pelagem tem coloração amarelo-dourada com rosetas escuras dispostas principalmente nas laterais do corpo. No dorso as rosetas se fundem formando listras que vão do topo dos olhos à base da cauda.

    Ecologia e Habitat
    Ocorre do norte da Costa Rica até o sul do Brasil / norte da Argentina, ocupando geralmente ambientes variados, desde áreas mais abertas àquelas com vegetação densa. No entanto, não é as populações parecem estar localizadas (de Oliveira et al. 2008).
    Assim como ocorre com os demais gatos pequenos, é um animal pouco estudado. Os dados existentes demonstram ser um animal solitário, de hábitos diurnos e noturnos que se alimenta de pequenos roedores, lagartos e pequenas aves (Wang 2002).

    Ameaças e Conservação
    A caça para o comércio de peles e a destruição das florestas são as principais causas de ameaça para essa espécie. Populações estão seriamente fragmentadas, sendo severamente reduzidas pela conversão do habitat natural para plantações e pastagens (de Oliveira et al. 2008). Além disso, o pequeno conhecimento sobre a biologia desta espécie, limita a possibilidade da atuação em estratégias de conservação eficientes. É classificado pela IUCN (União Internacional para Conservação da Natureza) como espécie vulnerável e pelo IBAMA, como ameaçado de extinção.

    Links Online
    IUCN redlist (http://www.iucnredlist.org) apresenta uma síntese dos conhecimentos atuais sobre a distribuição e estado de conservação.

    IUCN Cat Specialist Group (grupo de especialistas dos gatos):

    http://www.catsg.org/catsgportal/20_catsg-website/home/index_en.htm

    IUCN Cat Specialist Group species accounts (descrições das espécies de felinos selvagens):

    http://www.catsg.org/catsgportal/cat-website/20_cat-website/home/index_en.htm

    Referências
    Emmons, L. H., & Feer, F. (1997). Neotropical rainforest mammals: a field guide. Chicago: University of Chicago Press.

    Wang, E. (2002). Diets of ocelots (Leopardus pardalis), margays (L-wiedii), and oncillas (L-tigrinus) in the Atlantic rainforest in southeast Brazil. Studies on Neotropical Fauna and Environment, 37, 207-212.

    de Oliveira, T. G., & Cassaro, K. (2005). Guia de Campo dos Felinos do Brasil. São Paulo, SP: Instituto Pró-Carnívoros/Fundação Parque Zoológico de São Paulo/SZB/Pró-Vida Brasil.

    de Oliveira, T. G., Tortato, M. A., Silveira, L., Kasper, C. B., Mazim, F. D., Lucherini, M., Jácomo, A. T. A., Soares, J. B. G., Marques, R. V., & Sunquist, M. E. (2010). Ocelot ecology and its effect on the small-felid guild in the lowland Neotropics. In D. W. Macdonald & A. Loveridge (Eds.), Biology and Conservation of Wild Felids (pp. 563-584). Oxford: Oxford University Press.

    de Oliveira, T., Eizirik, E., Schipper, J., Valderrama, C., Leite-Pitman, R., & Payan, E. (2008). Leopardus tigrinus. In: IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.2. , <www.iucnredlist.org>, Downloaded on 10 July 2010.

< voltar
Instituto Pró-Carnívoros Av. Horácio Neto, 1030 - Parque Edmundo Zanoni - Atibaia / SP - 12945-01011 4411 6966